Rescaldo da Peregrinação a Santiago de Compostela – Via de la Plata a partir de Chaves

•Junho 9, 2009 • 2 comentários

Caros amigos do pedal.

É com grande alegria que apresentamos o rescaldo de mais uma peregrinação a Santiago de Compostela, desta vez por novos caminhos: a parte final da Via de la Plata.

Este caminho, começa em Sevilla e percorre cerca de 900km até chegar a Santiago. Desde há muito anos que existe uma “ligação” utilizada pelos peregrinos Portugueses, que a partir de Chaves acede ao mesmo passando a fronteira, atravessando Verin e entrando no caminho original em Laza.

Foram 3 dias de descoberta, já que nunca tinhamos feito este caminho, mas também de fé (pode-se dizer), porque com o tempo que apanhamos, só mesmo com muita fé se consegue chegar a Santiago… mas vamos por partes e por dias:

1º dia

Às 5 da manhã já estavamos em frente à Câmara Municial de Santo Tirso prontos a partir para Chaves, numa carrinha de caixa aberta, gentilmente cedida pela Câmara. As “cabras” já haviam sido carregadas no dia anterior, por isso parimos a horas.

Por volta das 7.30h, já tinhamos montados a bikes e estavamos prontos a arrancar.

A ideia que tinhamos era chegar a Ourense. Segundo o que tinhamos pesquisado na net, seriam cerca de 80km.

Seguimos sempre junto ao rio, com dificuldade em andar, devido ao frio. Cedo passamos a fronteira e pouco depois aparecia a 1ª indicação da distância que faltava percorrer: 199,355km.

O caminho nesta parte é rolante e fácil, alternando entre urbano e monte. Um pouco antes de Verín, surgiram as primeiras contrariedades, já que nustros hermanos estão a construir uma nova autoestrada e por vezes esquecem-se de marcar as alternativas ao percurso, obrigando a contantes desvios à sorte e a andar às voltas. Mas com sorte lá fomos encontrando sempre o caminho. De referir que este caminho, no geral, está bem marcado, bastando ir atento às indicações que aparecem fácilemte e de várias formas.

Paramos em Verin para comer e aproveitamos para carimbar no albergue desta cidade. Aí informaram-nos que o caminho poderia tomar 2 rumos. À esquerda seguiriamos mais juntos à fronteira com Portugal, passando em Xinzo de Limia e à direita iriamos directamente a Laza. Como a maior parte dos relatos apontava para a 2ª hipótese, optamos por ela.

Depois de Verín, apanhamos muita estrada, embora por sitios bem agradáveis tendo chegado a Laza ao inicio da tarde.
Aproveitamos para almoçar umas sandes, tomar um café “solo” e meter conversa com um velhote que nos esteva dizer que o troço que se seguia até Albergaria não seria pêra doce…  e efectivamente depois de mais um bocado de estrada, lá começamos a ver montes em toda a volta…
A esta hora sol tava-lhe a dar certinho e quando começamos a subir, tivemos que fazer uma paragem estratégica para tirar mais alguma roupa que já estava a estorvar.
Para quem já fez o caminho portugues, o que apanhamos da parte da tarde é semelhante à subida da Labruja, em Pinte de Lima. Tinhamos pela frente um monte, com um caminho muito maltratado, que só arrastando as “cabras” se conseguia avançar.
A dificudade neste troço é muito elevada, pelo que tivemos que fazer nas calmas porque ainda havia muito pela frente.
Foi aqui que encontramos o 1º companheiro de viagem, um senhor Austriaco que fazia o caminho a pé e que tinha saido de Sevilha há um mês!!!??!! E só contava chegar a Santiago dai a uma semana… O homem já era um “habitué” dos caminhos e andava que se fartava. Durante o resto do caminho até Albergaria “picamo-nos” com ele: ganhavamos-lhe nas descidas, mas depois levavamos coça nas subidas.

Depois de imensas paragens chegamos finalmente a Albergaria, ansiosos por conhecer o mitico “Rincon del Pelegrino”. Mas para grande triteza estava fechado. Disse-nos uma senhora que o dono havia saido há 10 minutos. Que desilusão!!! Era quase como chegar a Santiago e não ver a catedral!!! Ficamos por ali na conversa com Austriaco a ver se o homem chegava… mas nada.

Esperamos até às 4 da tarde, mas nada. Seguimos então caminho porque se fazia tarde e tinhamos ouvido dizer que o albergue de Ourense fechava cedo.

O restante do caminho é feito de sobe e desce por paisagens muito agrestes, longe de tudo, no meio de campos, em alguns sitios com retas enormes de perder de vista. Para quem estava habituado ao caminho Português, este é substancialmente diferente, porque é muito solitário, ás vezes passamos horas sem ver uma povoação, mas também por isso é muito bonito e intenso.

O problema é que com tanta beleza, o tempo foi passando e nunca mais chegavamos a Ourense. Apesar de mantermos um ritmo certo, começamos a perceber que afinal seriam mais do 80km e que as previsões que tinhamos feito estavam erradas.

Como estava realmente a ficar tarde, tivemos que puxar pelo cabedal mais ainda e a chegada a Ourense foi já próxima das 9 da noite, com o tempo a mudar para chuva. E o raio o albergue não podia ficar mais no topo da cidade… dasse… é que sobe até lá!

Mas depois de lá estar vale bem a pena, porque é um albergue com muita comodidade, banho quente de pressão e muito espaço. Como conselho: cheguem cedo, porque o albergue fecha às 22h e nas redondezas não existe grande oferta para jantar. O nosso foi um hamburguer e uma caña! E estava muito bom.

Por hoje ficamos por aqui… próximamente conto o resto da aventura.

A chegada a Chaves e descarregar as “cabras”

Que bonitos… sim Senhora!

Depois de entrar em Espanha, aparece logo a 1ª indicação.

Para ver todas as fotos visitem:

http://picasaweb.google.pt/osmarroesbtt/PeregrinacaoASantiagoCompostelaViaDeLaPlataPorChaves2009#

Anúncios

Peregrinação a Santiago de Compostela por Chaves | Preparação

•Abril 15, 2009 • 7 comentários

Criei este post para colocarmos algumas das coisas que vamos fazendo na nossa preparação para a grande Peregrinação a Santiago.

Pelo que temos visto não será fácil, mas havemos de conseguir.

Já encontrei o track gps apartir de Laza, que é onde a variante que vemde Chaves se encontra com a Via de la Plata.

Podem ver o caminho todo no google earth, mas atenção que só nos interessa o que é apartir de Laza. Para isso basta ir ao site http://www.caminhodesantiago.com, registarem-se na área privada e depois lá dentro encontram todos os caminhos disponíveis para ver no google earth. De qualquer forma deixo ficar a imagem:

stiago

Também muito importante para preparar o psicológico da viagem é a altimetria, e meus amigos, vamos ter subidas muito duras, ao ponto de andarmos muito próximo dos 1000 metros de altura. Para já ficarem com uma ideia, aqui fica o grafico de Laza em diante… de Chaves a Laza seja o que Deus quiser…

altimetria

Aconselho também uma visita a um site de caminheiros com muita informação detalhada de cada dia: http://bolhaseampollas.blogs.sapo.pt/3432.html

Brevemente mais informação…

Ultreya y Suseya ( expressão muito utilizada pelos peregrinos que traduzida à letra quer dizer “para o alto e  para a frente” )


Inicio

•Janeiro 25, 2009 • 7 comentários

Este é o blog de um grupo de Btt de Santo Tirso que se chama Marrões!

Sempre que ouvirem discussão no meio da bouça, já sabem: os Marrões andam à solta!

logo-4